quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Os próximos tempos


A situação da Europa, chamada União Europeia, não está nada fácil. A Espanha não consegue um Governo, após duas eleições e, de acordo com os analistas políticos, não parece que tão cedo se encontre uma solução governativa. Ainda hoje, o presidente do partido Ciudadanos deu a conhecer as suas condições para apoiar ou se abster na posse de um governo do Partido Popular de Mariano Rajoy. Não vai ser fácil, porque o sr. Rajoy é a parte do problema e nunca da solução, para isso basta ler as seis condições apresentadas pelo Ciudadanos. Mesmo que o governo do PP passe nas Cortes, será, sempre um governo frágil, atingido pelos escândalos da corrupção, que irá aumentar os sentimentos de independência de Bascos  e Catalães.


Albert Rivera - Líder do Ciudadanos


Vamos continuar a seguir os acontecimentos, porque tudo está a mudar muito rápido.

E como tudo está a mudar, quase à velocidade da luz, reparemos no que se está a passar para além do Estreito do Bósforo. Na Turquia, o sr. Erdogan inventou um “Golpe de Estado”, a fim de se libertar dos contestatários do seu regime e consolidar o seu poder absoluto. E queria este fulano integrar o seu país na “União Europeia”. Como sabia que não iria ter sucesso nos próximos anos, fez as pazes com o seu “inimigo” Vladimir Putin e este, que, com o seu silêncio, tem sido sagaz, terá aceite a “submissão” do sr. Erdogan mediante certas condições, nomeadamente, a sua não intromissão no processo da Ucrânia nem da Crimeia.


Vladimir Putin - Presidente da Rússia

O sr. Erdogan não percebeu isto e Vladimir Putin, com a sua sagacidade, consegue uma base militar no Irão, para apoio aos fiéis de Bashar Al Assad, inimigo da Turquia. Neste tabuleiro de xadrez, onde as peças brancas passam a pretas, num instante e o jogo é ganho, não pelo melhor jogador, mas por aquele, sem que o adversário se aperceba, muda a cor das peças.

Tudo isto se passa nas “barbas” da União Europeia, mais comprometida com as medidas de austeridade, favorecendo os grupos financeiros à custa da exploração dos trabalhadores, e com os Estados Unidos da América entretidos com a sua campanha eleitoral que, francamente, não sei o que vai mudar, independentemente de quem ganhar.
Hillary Clinton - Candidata do Partido Democrata





Donald Trump - Candidato do Partido Republicano

Vou esperar sentado, para ver o que acontecerá nos próximos tempos.

Ovar, 18 de Agosto de 2016
Álvaro Teixeira