domingo, 18 de setembro de 2016

Pairam nuvens negras sobre a União Europeia

No meu artigo anterior já previa que nada de bom saísse da Cimeira de Bratislava, mas o que saiu foi ainda bem pior.
Mais uma vez se provou que esta gente se comporta como baratas tontas que andam às voltas, mas não saem do mesmo sítio.
O que disseram a srª. Merkel e o sr. Hollande foram palavras redondas e que o eixo franco-alemão irão aprofundar, direi afundar, ainda mais a coesão da União Europeia, tomando em conta o Brexit.
Como é que estes dois governantes irão fazer aquilo que afirmaram, quando Hollande, com eleições na França já nos primeiros meses do próximo ano e tem uma taxa de aprovação de cerca de 20% e a chanceler Merkel acaba, ainda hoje, de sofrer uma pesadíssima derrota nas eleições Berlim?
Como é nos podem prometer reformas no funcionamento da União Europeia, se a credibilidade nos seus países anda pelas ruas da amargura?
E o mais caricato é que disseram que irão apresentar o plano conjunto em Março do próximo ano, como se não fosse urgente resolver as situações ou os problemas com que nos confrontamos todos os dias.


                                                                                  Matteo Renzi
O sr. Matteo Renzi, primeiro ministro da Itália, não compareceu na conferência de imprensa, alegando, entre outras coisas que os problemas da Europa não se resolveram com a austeridade, que não deve continuar e deu, como exemplo o caso dos EUA, que foi com o desapertar do cinto que a América aumentou o seu crescimento económico.
E para a cereja em cima do bolo, lá apareceu o grupo de Visegrado, ou V4 (Hungria, República Checa, Eslováquia e Polónia) a anunciar que irá vetar todos os acordos entre o UK e a UE, para dar sequência ao Brexit. Devo referir, porque é pertinente, que estes quatro países estão a ser governados por partidos da extrema direita que estão a crescer desmesuradamente por toda a Europa.

O céu da Europa está com cor de chumbo. Espero que não desabe como uma tempestade incontrolável, embora estejam a ser criadas todas as condições para que isso aconteça.

Ovar, 18 de Setembro de 2016
Álvaro Teixeira