quinta-feira, 6 de outubro de 2016

António Guterres confirmado, por aclamação, pelo Conselho de Segurança, Secretário-Geral da ONU





Ontem, dia 5 de outubro, para mim, foi tal a emoção que não consegui escrever nada sobre a eleição do Eng. António Guterres para Secretário-Geral da ONU.
Tive a honra de o conhecer, era ainda ele, deputado do Partido Socialista. Melhor ainda, um dos mais brilhantes deputados do Partido.
Mais tarde vim a encontrar-me com ele, já como Secretário-Geral do PS, em 1994, em Ovar.
Foi este encontro que mais me marcou e nunca deixarei de recordar, como passo a descrever:
Nesse ano, o dr. Armando França, já presidente da Câmara Municipal de Ovar, convidou o eng. António Guterres, para assistir ao nosso Carnaval, cujo ponto alto era, na altura, o desfile na Av. Ferreira de Castro.
Eu, por convite do sr. Presidente a Câmara, estava na bancada “presidencial” e, entre mim o dr. Armando França, estavam dois lugares vazios, mas reservados. Passado pouco tempo esses lugares eram ocupados, para meu espanto, pelo eng. António Guterres  e pela sua esposa, drª. Luísa.
Estávamos ali a assistir ao desfile, quando, a determinada altura, o eng. António Guterres me pediu para levar a esposa ao carro dele, que estava estacionado ao lado do edifício da Câmara. Passamos pela “TOCA”, onde tomámos uma água, mas sabia que tinha que me apressar, porque fiquei a saber que a drª. Luísa sofria de cancro.
O Carnaval, para mim, tinha acabado. Fiz companhia à senhora, dentro do Volvo azul escuro, até o marido chegar. Quando o eng. António Guterres chegou, dei-lhe conta da forma como a esposa passou aquele tempo, trocamos um forte abraço à despedida.

Achei que deveria partilhar este episódio com os meu leitores, porque foi algo que me marcou.

Ovar, 6 de Outubro 2016
Álvaro Teixeira