domingo, 16 de julho de 2017

Semanada



por estatuadesal
(In Blog O Jumento, 16/07/2017)
PRIVATIZAÇÕES

(Depois de vender a PT, de ter dado a Golden share de borla, agora vem defender os seus amigos da Altice, contra os trabalhadores e a favor dos despedimentos. Como é que esta alimária ainda consegue ter audiência no país?
Estátua de Sal, 16/07/2017)

A direita usou a alcunha dada à maioria parlamentar por Vasco Pulido Valente, um comentador da direita conservadora que detesta governos que não sejam de direita. Paulo Portas aproveitou-se e apelidou o governo. A esquerda gostou da alcunha e fez à provocação de Paulo Portas o que os ratos fazem ao veneno, aproveitou-se da ideia e tirou partido dela. Passos Coelho ainda se referiu à gerigonça no seu discurso policopiado no debate do estado da nação, mas Montenegro parece que quer tirar esta alcunha, agora o governo passou a ser um tuc tuc.
Passos Coelho e Assunção Cristas sentiram-se muito incomodados porque António Costa decidiu criticar o desempenho das infraestruturas da Altice que suportam o SIRESP, parece que um governante não pode criticar uma empresa, é um pecado mortal. Mas chamar clientelas a funcionários públicos e pensionistas, alcunhar os portugueses de piegas, falar mal do Estado e das suas instituição quase todos os dias ou difamar a CGD não faz mal.
A preocupação com Tancos e com Pedrógrão está a esmorecer na direita, até porque para além dos que se "suicidaram" por causa do governo, não estamos perante vítimas do governo.
A nova grande batalha de Passos é a Altice, só porque o primeiro-ministro se queixou da qualidade dos seus serviços. Compreende-se o empenho de Passos em defender a Altice, foi o seu governo que apadrinhou o negócio com a PT e a possibilidade de controlar uma boa parte da comunicação social dá alento a Passos. Passos está preocupado com o que Costa disse ou está "feito" com a Altice?
A direita tem novo candidato à sua liderança, para além da Assunção Cristas. Montenegro declarou o seu empenho na candidatura de Passos Coelho a primeiro-ministro nas próximas legislativas. Isso significa que o apoia até àquelas legislações, depois vai aparecer como alguém que nunca combateu o PSD e candidatar-se-á à liderança do PSD no dia seguinte às legislativas.