Sobre o Autor



Álvaro Teixeira de Oliveira


Nasceu em Soalhães, no concelho de Marco de Canaveses, em 15 de Julho de 1951.
Aos 4 anos de idade veio viver para Ovar.
Frequentou a escola primária de S. Miguel.
Foi estudar nos seminários da Ordem de S. Vicente de Paulo, em Braga, Felgueiras e Mafra.
Aos 19 anos foi trabalhar para a Soja de Portugal.
Em 6 de Janeiro de 1972 começou a cumprir o serviço militar.
Nesse mesmo ano, em 6 de Outubro, foi para Moçambique, onde esteve 6 meses em Olivença (Lupilichi), no extremo norte do Niassa.
Passados esses 6 meses foi mobilizado para os Grupos Especiais (GE's), tendo sido colocado na Serra Choa, no distrito de Manica, como comandante do GE 914.
Em Janeiro de 1974, após grave acidente na cidade da Beira, foi evacuado para o Hospital Militar de Lourenço Marques (Maputo) e, em 10 da Maio, foi internado no Hospital Militar da Estrela, em Lisboa.
Uma grande parte da sua vida militar, nos GE´s foi retratada pala escritora Clara Pinto Correio, no romance "Não podemos ver o vento", sendo o único munícipe de Ovar a quem foi concedida tal honra.
Retomou a sua vida profissional na Soja de Portugal, onde foi Gestor do Ambiente, HST e Gerente máximo dos Transportes Sorgal, após ter feito o bacharelato em Gestão na FEUP.
Deu conferências sobre o ambiente na Universidade Lusíada (lisboa) e na Faculdade de Veterinária
da Universidade de Lisboa, em encontros de industriais do ramo agro-alimentar e foi consultor da IACA para a área ambiental.
Abandonou a empresa em Março de 2005, por questões de saúde.
Teve uma vida cívica e partidária bastante activa e, actualmente, está reformado.