Translate

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ovar – O caso dos convites (parte 2)

O caso dos convites endereçados às Coletividades do concelho de Ovar para se fazerem representar na apresentação da recandidatura de Salvador Malheiro (PSD) à presidência da Câmara Municipal de Ovar, no passado dia 17/06, deu muito que falar nas redes sociais.
Refiro aqui um “opinion maker” do Facebook, muito ativo e que se diz muito bem informado, porque tem fácil acesso ao presidente da Câmara desmentir um amigo, militante de outro partido, dizendo que as coletividades não tinham sido convidadas.
As coletividades foram convidadas para se fazerem representar pelos seus presidentes e membros da respetivas direções.
E foram-no pelo PSD-Ovar e aqui está a prova de um convite dirigido a uma coletividade da qual omito o nome, para que a mesma não venha a sofrer represálias, nomeadamente, no que diz respeito aos subsídios a que tem direito:




Provas para quê? É de um verdadeiro artista português.
Agora pergunto:
- Como se sentirão os associados dessas coletividades que militam ou são simpatizantes de outros partidos e apoiam outros candidatos?
- Não se sentirão traídos pelos órgãos sociais das coletividades que se fizeram representar?
- Não seria melhor convocarem uma Assembleia Geral da Coletividade e apresentarem a sua demissão?
- Terão sido essas coletividades beneficiadas pelos “Ajustes Diretos” e a sua representação foi uma forma de agradecimento?
Em política não vale tudo, mas no PSD-Ovar parece que vale tudo, menos tirar olhos.
Meus senhores tenham um mínimo de decoro, já que a vossa vergonha é coisa que não têm.
Isto é um verdadeiro pântano onde chafurda muita gente tanto a nível local como nacional.
Não me alongo mais, tamanha é a minha indignação perante isto tudo.

Ovar, 21 de junho de 2017
Álvaro Teixeira