quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Esta é a União Europeia que eu não quero

França fez “acordo secreto” com Comissão da UE para não cumprir metas do défice

 

EUROPA. Hollande e Durão, em 2014, quanto o português ainda liderava a Comissão Europeia

REUTERS / CHRISTIAN HARTMAN

A revelação deste “contrato secreto” é confirmada pelo próprio François Hollande, no livro “Um Presidente não deveria dizer isso” e não foi desmentida. Desde que Hollande foi eleito, em 2012, as autoridades francesas apresentaram sempre previsões de défices intencionalmente falsas, com a aprovação das Comisões presididas por Durão Barroso e Jean Claude Juncker. Desse modo, o país escapou sempre a sanções por défice excessivo. Um livro explosivo

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris

Jornalista

A poucos meses das eleições presidenciais, o livro, com o título original “Un président ne devrait pas dire ça…”, da autoria de dois jornalistas de investigação do vespertino le Monde, Gérard Davet e Fabrice Lhomme, é já considerado “um suicídio político” por muitos analistas e por diversos dirigentes dos socialistas franceses, incluindo o próprio primeiro-ministro, Manuel Valls.

O chefe de Estado não desmentiu as revelações, nem sequer as mais incómodas no domínio da política interna – revela dados e críticas inacreditáveis sobre ministros, camaradas socialistas ou sobre o funcionamento da Justiça e outros assuntos – ao ponto de o seu próprio primeiro-ministro, Manuel Valls, falar em “vergonha e cólera” dos militantes socialistas. A publicação do livro – fruto de cinco anos de investigação e 61 entrevistas e mais de 100 horas de gravações de conversas com Hollande – provocou alvoroço nos socialistas franceses, ameaçados de uma derrocada histórica nas presidenciais da próxima primavera e nas eleições legislativas que se seguirão.

 

Fonte: Expresso

 

Ovar, 3 de Novembro de 2016

Álvaro Teixeira